segunda-feira, 26 de novembro de 2012

VIII Festival Brasília de Cultura Popular e II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro continuam!

A FESTA AINDA NÃO ACABOU, TEM MUITA COISA BOA ESSA SEMANA!

PROGRAMAÇÃO

VIII FESTIVAL BRASÍLIA DE CULTURA POPULAR

II FESTIVAL BRASILEIRO DE TEATRO DE TERREIRO

 

Dia 30 de novembro

Teatro Plínio Marcos
21h - Grupo Grial com Castanha  Sua Cor (PE)
Área Externa
22h - Karynna Spinelli (PE)
23h – Lucas e Orquestra dos Prazeres (PE)

Dia 01 de dezembro

Área Externa
18h – Terno de Moçambique Irmandade Nossa Senhora Do Rosário do Carmo do Cajuru (DF)
19h – Grito de Liberdade (DF)
Teatro Plínio Marcos
20h – Antônio Nóbrega com Lua (SP)
Área Externa
22h – Mestre Zé do Pife e as Juvelinas (DF)
23h – Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro – Sambada (DF)
0h  - Velha Guarda da Bateria da Mangueira (RJ)

Dia 02 de dezembro

Área Externa
18h – Roda de Mamulengo (DF e RN)
Teatro Plínio Marcos
20h – Antônio Nóbrega com Lua (PE)

Serviço:
VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Dias: 20 de novembro a 02 de Dezembro
Local: Complexo Cultural da FUNARTE
Horário: vide programação (www.seuestrelo.art.br)
Entrada com 1kg, para as atrações internas, no Teatro Plínio Marcos, retirada de ingresso com duas horas de antecedência
Classificação Livre

 

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O Grupo Grial (PE) vem à Brasília com Castanho Sua Cor

O Espetáculo Castanha Sua Cor é uma maneira poética e abstrata de adentrar no subterrâneo da Cultura Brasileira. Esse subterrâneo que nos leva aos tempos remotos, possibilitando reencontros com nossos mitos atuais, possibilitando uma compreensão da nossa personalidade e da nossa visão de mundo.

Nesta peça coreográfica o Grial apresenta uma bailarina de formação erudita e um dos mais antigos brincantes de Pernambuco, permeando elementos da tradição popular e da contemporaneidade, com vigor e sutileza necessária para tratar do olhar que temos de nós brasileiros e os vários países contidos num mesmo Brasil. Uma pesquisa onde o Corpo se torna dramaturgia de romances populares, antigas loas e canções, tradição corporal apresentada como linguagem, memória já quase soterrada pelo tempo.

Grupo Grial com Castanha Sua Cor no
II Festival Braseiro de Teatro de Terreiro
Data: 30 de Novembro de 2012 (Sexta-feira)
Local: Teatro Plínio Marcos, Funarte
Hora: 21h30

O lançamento da Escola Digital de Batuque Tradicional


 
Os Pontos de Cultura Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro e Artéria Cultura e Cidadania realizam em parceria um encontro da Cultura Digital com o lançamento da Escola Digital de Batuque Tradicional e o Ciclo de Cultura Digital DF -  Protocolos Livres. O evento acontece no VIII Festival Brasília de Cultura Popular dia 24 de dezembro às 14 na Sala Cássia Eller do Complexo Cultural da Funarte.

A Escola Digital de Batuque é um site que chega para ampliar o registro, difusão e divulgação das manifestações culturais do Brasil. Por meio de vídeos aula, registra-se parte das tradições brasileira, especificamente a base de sua musicalidade. Na tentativa de acompanhar o desenvolvimento da tecnologia o projeto, proposto pelo Ponto de Cultura Seu Estrelo, procura introduzir a cultura tradicional brasileira  na rede virtual cultural do país, de forma simples, porém significativa.

O Ciclo de Cultura Digital DF - Protocolos Livres realizado pela Artéria Cultura e Comunicação é o primeiro de um conjunto de ações que visa fortalecer e potencializar a cultura e as plataformas livres, a apropriação crítica das tecnologias e o empoderamento da comunicação popular.

Diversxs provocadorxs debaterão as várias formas de expressar o processo criativo, as interações entre arte e estética, cultura digital e transformação social através das tecnologias de informação e comunicação. 

Ou seja: rodas conectadas construindo liberdades!

- Ricardo Poppi -  Transparência in Gov
Marcelo souza - Redes Sociais Livres
- Watson - Ginga, TV  digital e Interatividade
- Farid -   Produção Multimidia em Software Livre 
- Fred Vasquez -  Cinema Opensource / Cinema Livre 
- LeoBr e  -  A Cultura Popular é Livre
- Raoni - Redes Não Seria, se Mapeia!
- Fabiana -  DIY
- Sergio Bertoni - Blogosfero
- Tico Magalhães - capitão do grupo Seu Estrelo (DF) - sobre a importância da cultura popular na rede.
- Manoel Salustiano - Maracatu Piaba de Ouro (PE) - sobre a cultura oral e educação nos terreiros.
- Uirá Porã  -Tuxáua Cultura Viva (CE) - sobre a ação cultura digital do programa Cultura Viva



Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro comemora o II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro com A Terceira Roda


A Roda de Seu Estrelo que conta o mito do Calango Voador é mais um espetáculo que compõe a cena do teatro de terreiro brasileiro. Expressão esta criada por Mestre Salustiano para descrever a arte, o teatro feito, praticado e renovado dentro dos terreiros e casas de mestres populares, que com suas inovações, técnicas, conceitos e inspirações mantiveram vivos o teatro popular. Mestres populares brasileiros que por seus gênios criativos, comparamos e os colocamos no mesmo patamar dos maiores gênios do teatro mundial.
Mais uma vez, o grupo traz o Calango Voador e a saga dos personagens do cerrado. A Terceira Roda ou o Alado, a Tristeza e o Espantoso Rio que Bebe Nuvens e Mija Mar é o resultado de seu teatro popular, feito em seu quintal, com os ensinamentos e a fúria criativa de seus mestres.

Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro com
A Terceira Roda ou O Alado, a Tristeza e o Espantoso Rio Que Bebe Nuvens e Mija Mar  (DF) no
II Festival Braseiro de Teatro de Terreiro
Data: 25 de Novembro de 2012 (Domingo)
Local: Teatro Plínio Marcos, Funarte
Hora: 20h

Roda de Mamulengo traz seu teatro de terreiro para o Festival



Brasilia é a cidade fora do nordeste que mais abriga mamulengueiros, são mais de dez brincantes, que imprimem cada um a sua maneira nova vitalidade à tradição, adaptando e incorporando elementos urbanos e universais sem descaracterizar nem folclorizar  a tradição que permanece viva nas mãos molengas dessa nova geração.

O VIII Festival  Brasília de Cultura Popular abre espaço para mais uma Roda de Mamulengos onde o público Brasiliense poderá conferir se divertindo com esse povo em forma de bonecos chamado mamulengo.


Roda de Mamulengo com
Mamulengo Presepada – Taguatinga (Chico Simões)
Mamulengo Roupa de Ensaio – Samambaia (Miguel Mariano)
Mamulengo Fuzuê – Ceilândia (Thiago de Francisco)
Mamulengo Pilombetagem – Gama (Robson Siqueira)
VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Data: 02 de dezembro de 2012 (Domingo)
Local: Gramado da Funarte
Hora: 18h

Encontro de Frevo de Rua (PE) vai fazer você pular!



O Encontro de Frevo é a junção de três grupos referência deste ritmo, dança e festa pernambucana. A Troça Carnavalesca Mista Pitombeira dos Quatro Cantos, uma das mais conhecidas troças do carnaval de Olinda;  o grupo Guerreiros do Passo foi formado por discípulos do Mestre Nascimento do Passo, famoso passista do Recife e a Orquestra Popular Vereda Tropical, orquestra de rua, em que os metais preponderam - difere na sua sonoridade das Orquestras de Baile.

Durante o período de carnaval enfeitiça os foliões do Recife e das ladeiras de Olinda com seu andamento ligeiro e vibrante. A festa do frevo está armada e convida a você para dançar, cantar e apreciar neste sábado, no gramado da Funarte.

Encontro de Frevo de Rua
vem com
a Troça Carnavalesca Mista Pitombeira,
Guerreiros do Passo e
a Orquestra Popular Vereda Tropical
no VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Data: 24 de Novembro de 2012 (Sábado)
Local: Funarte
Hora: 23h30

Mestre Cobra (DF) traz o Grito de Liberdade pra gingar capoeira


A história do Grito de Liberdade começa em 1980 na Candangolândia quando Mestre Cobra, descobre a Capoeira Regional. Nessa época a capoeira era marginalizada, sendo assim praticada às escondidas no mato. De 80 a 90, Cobra treina com Mestre Rizomar. Em 90, vai para Asa Norte estudar com Mestre Taboza. Cinco anos depois vai para o Sol Nascente com Mestre Romeu.
Em 1994,  começa a desenvolver o seu trabalho no Riacho Fundo. Forma-se então, o grupo de capoeira Grito de Liberdade. Hoje, desenvolve em seu jogo uma mescla de capoeira regional e angola, esta ultima pesquisada por Mestre Cobra em vídeo e anos mais tarde aprimorada em encontros com mestres da Bahia e do Rio Grande do Norte. Atualmente, o Centro Social e Cultural Grito de Liberdade é composto por 32 professores e 1.500 alunos de 22 cidades satélites.


Grito de Liberdade do Mestre Cobra no
No VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Data: 01 de Dezembro de 2012 (Sábado)
Local: Funarte
Hora: 19h

A Velha Guarda da Mangueira (RJ) vai botar todo mundo pra sambar


 
O vasto repertório da Velha Guarda da Bateria da Mangueira que contagiam e emocionam a todos, é composto por sambas de Terreiro (Quadra), Partido Alto e de Enredo, que marcaram época e que ilustram a história da nossa escola 18 vezes campeã do carnaval e consideradas por muitos, a maior e mais popular escola de samba do Brasil é um dos pontos chaves das nossas apresentações.
Dentre os sambas apresentados nos shows estão: “Exaltação a Mangueira”, “Capital do Samba”, “Jequitibá”, “Quem chegou foi a Mangueira”, “A mais querida”, “A maior escola de samba do Brasil”, “O mundo encantado de Monteiro Lobato”, “Yés, nós temos  Braguinha”, “Caymmi Mostra ao Mundo o que a Bahia e a Mangueira tem”, “No Reino das palavras”, “100 anos de liberdade, realidade ou ilusão”, “Chico Buarque da Mangueira”, Brasil com “Z” é pra cabra da peste. Brasil com “S” é nação do nordeste”, entre outras.

Velha Guarda da Mangueira no
No VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Data: 01 de Dezembro de 2012 (Sábado)
Local: Funarte
Hora: 0h

Último dia para assistir a TROUPP PAS D'ARGENT na Funarte

 Foto: Pedro Rocha

Gente, ontem o espetáculo foi fantástico e se não deu tempo de você ir, vá hoje!
É às 20h, na Sala Plínio Marcos da Funarte.

Segunda apresentação da peça HOLOCLOWNSTO da Troupp Pas D'Argent (RJ).

Ingressos: 1kg de alimento!



FESTIVAL BRASILEIRO DE TEATRO DE TERREIRO APRESENTA:


TROUPP PAS D`ARGENT com HOLOCLWNSTO (RJ)


HOLOCLOWNSTO combina a inocência patética de um clown com o horror de uma Guerra Mundial. Guerra esta, que é somente um pano de fundo para ser mostrado um conflito mais particular, os conflitos internos do ser humano.
Seis clowns aprisionados no último vagão de um trem, esquecidos e amarelados pelo tempo, levam consigo apenas uma mala com pedaços do passado, saudade e incertezas do que virá.
Esses clowns buscam a paz interior e lutam por sua sobrevivência dentro do trem, mas, acabam por criar um caos irreversível e com isso, o vagão se torna um campo de batalha, no qual ninguém sabe onde vai dar ou a quem pedir socorro, refletindo assim, a própria vida.
Figuras ordinárias e extraordinárias caminham numa estrada desconhecida, abrigados sob um escuro e triste vagão. De olhos fechados fogem do frio.
Dias 22/11
Às 20h no Complexo Cultura da Funarte - Teatro Plínio Marcos
Entrada 1kg de alimento.
Retire seu ingresso com 2(duas) horas de antecedência

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Cia. Soma (SP) vem com Mira no II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro






Uma das propostas do II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro é unir as tradições vividas no terreiro em colaboração com outros formatos para favorecer a sua circulação.
           
Um exemplo disso é a Cia. Soma (SP) que chega neste sábado, 24, para unir dança, tendo como base corporal as manifestações populares brasileiras, e criado para ser apresentado em teatros de palco italiano.
           
O nome do espetáculo é Mira, em Tupi significa povo, nação. No português, alem da idéia de intenção e objetivo, corresponde a qualidade de uma transmissão. Revela assim a referência e a vontade deste projeto: uma divulgação de qualidade da recriação artística baseada na produção cultural de um povo, de uma nação.

O espetáculo Mira é composto por uma sequência de cenas que juntas compõem um caráter festivo e ritualístico, cômico e concentrado, despretensioso e atento, característico também das Brincadeiras populares. Suas coreografias, mais do que demonstrar um repertório de passos populares, evidenciam as possibilidades corporais que estas danças tem a oferecer. Os movimentos do frevo, os passos do caboclinho, o molejo dos batuques serviram de base para a criação de solos e duetos dançados ao som de Piazzolla, Prokofiev, Satie, Bach, musicas intrumentais ciganas, choros, entre outras.


Cia. Soma
traz o espetáculo
Mira
No II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro
Data: 24 de Novembro de 2012 (Sábado)
Local: Sala Plinio Marcos, Funarte
Hora: 20h
 

O Alado e as Figuras Penduradas - A chegada do Calango Voador



E pra quem achava que o Calango Voador não iria chegar, agora é a hora. O grande homenageado da noite chega junto das figuras penduradas acompanhado de um cortejo com 30 batuqueiros, 15 brincantes e 7 pernas de pau para fazer a festa na capital numa bela performance. O  espetáculo feito para receber o  filho do sol e da terra é o maior motivo do Festival Brasília de Cultura Popular que há oito anos festeja esta figura fantástica.
 
 
Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro com O Alado e as Figuras Penduradas (DF) no
VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Data: 23 de Novembro de 2012 (Sexta-feira)
Local: Gramado da Funarte
Hora: 22h

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Troupp Pas D'argent (RJ)



FESTIVAL BRASILEIRO DE TEATRO DE TERREIRO APRESENTA:


TROUPP PAS D`ARGENT com HOLOCLWNSTO (RJ)



HOLOCLOWNSTO combina a inocência patética de um clown com o horror de uma Guerra Mundial. Guerra esta, que é somente um pano de fundo para ser mostrado um conflito mais particular, os conflitos internos do ser humano.
Seis clowns aprisionados no último vagão de um trem, esquecidos e amarelados pelo tempo, levam consigo apenas uma mala com pedaços do passado, saudade e incertezas do que virá.
Esses clowns buscam a paz interior e lutam por sua sobrevivência dentro do trem, mas, acabam por criar um caos irreversível e com isso, o vagão se torna um campo de batalha, no qual ninguém sabe onde vai dar ou a quem pedir socorro, refletindo assim, a própria vida.
Figuras ordinárias e extraordinárias caminham numa estrada desconhecida, abrigados sob um escuro e triste vagão. De olhos fechados fogem do frio.
Dias 21 e 22/11
Às 20h no Complexo Cultura da Funarte - Teatro Plínio Marcos
Entrada 1kg de alimento.
Retire seu ingresso com 2(duas) horas de antecedência



II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro

Dias: 20 de novembro a 02 de Dezembro
Local: Complexo Cultural da FUNARTE
Horário: vide programação (www.seuestrelo.art.br)
Entrada com 1kg, para as atrações internas, no Teatro Plínio Marcos, retirada de ingresso com duas horas de antecedência
Classificação Livre


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

PROGRAMAÇÃO VIII FESTIVAL BRASÍLIA DE CULTURA POPULAR II FESTIVAL BRASILEIRO DE TEATRO DE TERREIRO

PROGRAMAÇÃO

VIII FESTIVAL BRASÍLIA DE CULTURA POPULAR

II FESTIVAL BRASILEIRO DE TEATRO DE TERREIRO

 

21 e 22 de novembro

Teatro Plínio Marcos
20h  – Troupp Pas D’argent com Holoclownsto (RJ)

23 de novembro

Área Externa
20h - Pé de Cerrado (DF)
21h30 - Maracatu Piaba de Ouro (PE)
22h30 – Espetáculo O Calango Voador e as Figuras Penduradas – Chegada do Calango Voador (DF)
23h30 – Jongo da Serrinha (RJ)

24 de novembro

Teatro Plínio Marcos
18h - Cavalo Marinho Boi Pintado (PE)
20h – Cia. Soma  com Mira (SP)
Área Externa
21h30 – Tambor de Crioula de Mestre Teodoro(DF)
23h30 - Encontro de Frevo de Rua  - Pitombeira dos Quatro Cantos (PE)

25 de novembro

Área Externa
19h – As Caxeiras com Caixa de Mitos – Lendas do Brasil (DF)
Teatro Plínio Marcos
20h -  Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro com O Alado, a Tristeza e o Espantoso Rio Que Bebe Nuvens e Mija Mar (DF)

Dia 30 de novembro

Teatro Plínio Marcos
21h - Grupo Grial com Castanha  Sua Cor (PE)
Área Externa
22h - Karynna Spinelli (PE)
23h – Lucas e Orquestra dos Prazeres (PE)

Dia 01 de dezembro

Área Externa
18h – Terno de Moçambique Irmandade Nossa Senhora Do Rosário do Carmo do Cajuru (DF)
19h – Grito de Liberdade (DF)
Teatro Plínio Marcos
20h – Antônio Nóbrega com Lua (SP)
Área Externa
22h – Mestre Zé do Pife e as Juvelinas (DF)
23h – Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro – Sambada (DF)
0h  - Velha Guarda da Bateria da Mangueira (RJ)

Dia 02 de dezembro

Área Externa
18h – Roda de Mamulengo (DF e RN)
Teatro Plínio Marcos
20h – Antônio Nóbrega com Lua (PE)
Serviço:
VIII Festival Brasília de Cultura Popular
Dias: 20 de novembro a 02 de Dezembro
Local: Complexo Cultural da FUNARTE
Horário: vide programação (www.seuestrelo.art.br)
Entrada com 1kg, para as atrações internas, no Teatro Plínio Marcos, retirada de ingresso com duas horas de antecedência
Classificação Livre

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Terça-feira já começa o II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro com a oficina de teatro popular ou de botação de figura



Se você tem interesse de aprender e desenvolver sua teatralidade de uma forma diferente, venha aprender com o grupo Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro que inspirado pela invenção existente no fazer dos teatros populares brasileiros, criou seu mito e sua própria brincadeira. Em sua moderna tradição desenvolveu um jeito de encenar próprio, baseado na cultura popular, formado nos terreiros de macumba e nas vivências com brincantes, palhaços e atores populares. A este jeito de teatralizar, ou melhor, de botar figura, o grupo deu um nome de Teatro de Terreiro.

Em sua oficina de botada de figura, o grupo propõe mostrar e trabalhar por meio da dança, do teatro, do batuque e da contação de histórias o caminho percorrido por seus brincantes, buscando o contato com a fúria criativa existente dentro de uma das maiores escolas de teatro do mundo, a cultura popular brasileira.

São sete dias de brincadeira para a montagem de uma roda, encenada pelos participantes da oficina, botando figuras da tradição e do mito do grupo Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro. Os textos são abertos e baseados no improviso o que possibilita que cada um acrescente elementos de sua própria história na maneira de brincar. Será feito uma abordagem técnica da dança buscando despertar a memória física e revelar o jeito que cada corpo imprime as imagens de figuras da moderna mitologia do cerrado.

Oficineiros: Júnia Cascaes, Felipe Gebrim e Tico Magalhães.

Oficina de Teatro Popular ou de Botação de Figura
Dia: 20 a 30 de novembro
Hora: 9h às 12h
Local: Teatro Plínio Marcos, Funarte

Inscrições até 16/11

As vagas são limitadas.
Envie sua inscrição com currículo para:

Mais informações:

As Caixeiras (DF) encantam com os mitos do imaginário popular brasileiro no II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro

 

O grupo As Caixeiras - Cia. de Bonecas formou-se em 2007 com a montagem do espetáculo Coisas de Mulher.
É o primeiro grupo de Teatro Lambe-lambe do DF e trabalha, fundamentalmente, com esta técnica, uma das linguagens do teatro de animação.
O espetáculo Caixa de Mitos – Lendas do Brasil apresenta quatro personagens do imaginário popular brasileiro que mistura lendas indígenas e caboclas: o Curupira, a Boitatá, o Saci e a Iara.
O espetáculo pode ser visto por até três espectadores por vez e tem duração de seis minutos. O cenário, uma grande floresta brasileira, é o pano de fundo onde se desenrolam as aventuras destas criaturas que encantam crianças e adultos. 
Ficha técnica
Direção: As Caixeiras Cia. e Bonecas
Bonequeiras: Amara Hurtado, Jirlene Pascoal e Mariana Baeta
Produção: As Caixeiras – Cia. de Bonecas

As Caixeiras no
II Festival Brasileiro de Teatro de Terreiro
Data: 25 de Novembro de 2012 (Domingo)
Local: Gramado da Funarte
Hora: 19h
Entrada com doação de 1kg de alimento não perecível